Personagens

Narrador Incógnito

Metalinguagem assumida: Um autor de quadrinhos oculto (os olhos do leitor são seus olhos) começa a duvidar de sua sanidade quando seus quadrinhos – escritos a partir das histórias que um palhaço mambembe lhe conta desde criança – começam a invadir a sua realidade…

FadaNegra I

Entre os seres encantados de um mundo alternativo e “groove” chamado Ardep Luza, houve uma primeira fadanegra que mantinha o equilíbrio mágico do lugar. Apesar de poderosa e mortal, ela era como uma criança: linda, indolente, espontânea e ingênua…

FadaNegra II

Ela era uma garota normal, do nosso mundinho. Mas, na adolescência, começou a se sentir muito mal e que isso não tinha nada a ver com seu ciclo menstrual. Ela passa a sofrer mutações esporádicas que a deixam com a aparência de um inseto… Envolvida num assassinato e no passado de seu pai, ela se vê obrigada a refletir: 1- “Existem pessoas que ACREDITAM em fadas…” 2- “Existem pessoas que acreditam VER fadas…” 3- “Não existe NADA parecido com a Sininho…”

Aiam Mit

O mais psicodélico, o rei do soul, a alma de Ardep Luza. Ele que mantém na cabeça dos seres encantados que o caminho do equilíbrio é o “caminho do bem”, entoando seus mantras e dançando para os fiéis no Templo NEREK LUZA, que mais parece a “discoteca” onde Tony Manero deu seus primeiros passos nos embalos de sábado à noite… Lá, Aiam ensina a todos, no melhor estilo “seventies”, que só com muita paz e amor (”nós não fazemos sexo, fazemos amor, babe!), chegará a harmonia que unirá todos os mundos paralelos. Viva o Síndico!

O OGRO

Imagine um fulano meio “lesado” e tímido. Agora, junte a isso tudo, um coração puro, uma força descomunal, uma aparência grotesca e um pavio curto. Essa coisa é o nosso ogro, que pode se tornar devastador quando irritam alguém que ele gosta. De poucas palavras, seu interior guarda uma poesia, única, traduzida nas músicas da banda Maraska. A história do amor do Ogro pela Fadanegra é um dos contos que o palhaço adora contar…

AGUARDEM MAIS BIO DE PERSONAGENS!

ARGOL

O cara só consegue “viajar” para os mundos loucos dentro do circo Pscircodelia “viajando” literalmente… Mas, quem sabe, ao ajudar a moça-Fada-Negra, ele aprenda algumas coisas novas que o tirem desse inferno…

O PALHAÇO

O Contador de Histórias. Uma figura mambembe com a sua trupe, real ou imaginação, ele é a ponte entre o narrador incógnito e as histórias que se passam no circo abandonado. Ou mais: ele é a ponte entre o mundo real e surreal desta história. E nos deixa uma dúvida: O que é real mesmo nisso tudo…?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>